Projeto de Investigação Trabalho (no) Feminino

Bibliography

Leona Hardy

Joint CEO, Co-Founder

Etta Green

PR Manager

Ruby Maldonado

Head of Archivists

Frederick Cole

Head of Marketing

Hettie Padilla

Head of Curators

Vio Kras

Administrator

Theona Jude

Assistant

Anchel Martinez

Designer

Curators

  • Patrick Graves
  • Forrest Day
  • Scott Blair
  • Ruby Simpson
  • Victoria Frank
  • Jennie Pittman

Administrators

  • Bernard Greene
  • Christy Roy
  • Michelle Blake
  • Lydia Brady
  • Delicia Owusu
  • Deana Finnie

Archivists

  • Perry Greenberg
  • Winfred Meagher
  • Bridget Lathrop
  • Jessica Minter
  • Jamal Garrigan
  • Sina Haro

Assistants

  • Marcos Waldorf
  • Darby Haymon
  • Brittni Geronimo
  • Jarvis Wallander
  • Rosemarie Latimore
  • Manuel Villeneuve

A

  • AIRES, Fernando (1985), "Alice Moderno – A Mulher e a Obra", separata da Revista Insulana, Ponta Delgada, Instituto Cultural de Ponta Delgada, vol. XLI.
  • ALBA, Vitor (s.d.), Historia Social de la Mujer, Madrid, Plazza e Janes, S.A., Editores.
  • ALBERGARIA, Miguel Soares de, "Da Reacção à Figura e Obra de Alice Moderno - notas à questão da influência das minorias sobre as maiorias", in Revista Insulana, Ponta Delgada, Instituto Cultural de Ponta Delgada, vol. LXI, pp. 125 - 133.
  • ALMEIDA, Ana Nunes de (1986), “As mulheres e a história da produção”, in Educação e Trabalho – As Mulheres e o Trabalho, n.º 32, pp. 16-22.
  • ALMEIDA, Ana Nunes de (1993), “Mulheres e Famílias Operárias: a ´esposa doméstica´”, in Análise Social, n.º 22 (94), pp. 979-985.
  • ALMEIDA, Ana Nunes de (1993), “Mulheres e Famílias Operárias: a ´esposa doméstica´”, in Análise Social, n.º 22 (94), pp. 979-985.
  • ALMEIDA, Gabriel de (1892), Breve noticia sobre a cultura da planta do chá, Ponta Delgada, Typografia Imparcial.
  • ALVIM, Maria Helena Vilas- Boas (1997), “A Cultura no Feminino. A Marquesa de Alorna. Um caso paradigmático”, in O Tripeiro, 7.ª série, ano XVI, n.º 6-7, Junho/Julho, pp. 199-203.
  • ALVIM, Maria Helena Vilas- Boas (1993), “Angelina Vidal. Uma vida ao serviço da propagação da nova ideia”, in Revista de Ciências Históricas, Porto, Universidade Portucalense, vol. VIII, pp. 155-174.
  • ALVIM, Maria Helena Vilas- Boas (1990), “Da Educação da Mulher no Portugal Oitocentista – Notas de um estudo”, in Revista de Ciências Históricas, Porto, Universidade Portucalense, vol. V, pp. 321-341.
  • AMARO, Maria Inês (2015), Urgências e Emergências do Serviço Social: Fundamentos da profissão na contemporaneidade, Lisboa, Universidade Católica Editora.
  • AMORIM, Inês (2005-2006), “Mulheres no sector das pescas na viragem do século XIX : formas de participação na organização do trabalho”, in Arquipélago-História, Universidade dos Açores, n.º 9 e 10, pp. 661-683.
  • ANDERSON, Bonnie S. e outros (1992), Historia de las Mujeres: uma Historia própria, Barcelona, Editorial Crítica, vol. I.
  • ANDRADE, Mariana Belmira de (1875), Phantasias, Ponta Delgada, Tipografia dos Açores.
  • ANDRADE, Mariana Belmira de (1896), A Esfynge, Graciosa, jornal A Ilha Graciosa.
  • ARAÚJO, Helena Costa (1991), “As professoras primárias na viragem do século: uma contribuição para a história da sua emergência no Estado (1870-1910)”, in Organizações e Trabalho, 5/6, Dezembro, pp. 127-143.
  • ARAÚJO, Helena Costa (2000), Pioneiras na Educação. As professoras primárias na viragem do século: contextos, percursos e experiências (1870-1933), Lisboa, Instituto de Inovação Educacional.
  • ARON, Jean-Paul, Dir. (1984), Misérable et Glorieuse – La femme du XIXe Siècle, Paris, Ed. Complexe.

B

  • BAKER, C. Alice (1882), A summer in the Azores with a glimpse of Madeira, Boston, Lee and Shepard Publishers.
  • BANDEIRA, Ana Maria Leitão; PITA, João Rui Rocha (1990), “As primeiras mulheres farmacêuticas na Universidade de Coimbra”, in Kalliope, De Medicina, n.º 3, pp. 21-28.
  • BAPTISTA, Virgínia do Rosário (s/d.), “A Progressiva invisibilidade do trabalho feminino em Portugal (1890-1940)”, in VAZ, Maria João; RELVAS, Eunice; PINHEIRO, Nuno, org., Exclusão na História. Actas do Colóquio Internacional sobre Exclusão Social, Lisboa, Celta, pp. 85-97.
  • BAPTISTA, Virgínia do Rosário (1999), As Mulheres no Mercado de Trabalho em Portugal: representações e quotidianos (1890-1940), Lisboa, CIDM.
  • BAPTISTA, Virgínia do Rosário (2016), Proteção e Direitos das Mulheres Trabalhadores em Portugal 1880 - 1943, Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais.
  • BARREIRA, Cecília (1994), História das Nossas Avós. Retrato da Burguesia em Lisboa, Lisboa, Edições Colibri.
  • BARRENO, Maria Isabel (1989), Mulheres: as mulheres dos Açores, Lisboa, s/ n.
  • BATCHELOR, Jennie (2010), Women's Work: Labour, Gender, Authorship, 1750- 1830. Manchester: Manchester University Press.
  • BELTRÃO, Luísa (2007), Uma História para o Futuro - Maria de Lourdes Pintasilgo, Parede, Tribuna da História.
  • BOCK, Gisela (2001), La Mujer en La Historia de Europa, Barcelona, Critica.
  • BOYDSTON, Jeanne (1990), Home and Work: Housework, Wages, and the Ideology of Labor in the Early Republic, EUA, Oxford University Press.
  • BRAGA, Teófilo de (2020), Vidas Exemplares, Ponta Delgada, Letras Lavadas.
  • BRUM, Ângela Furtado (2020), Vidas - Mulheres Açorianas, Ponta Delgada, Letras Lavadas.

C

  • CABIDO, Aníbal Gomes Ferreira (1913), Boletim do trabalho industrial: a industria do chá nos Açores, Coimbra, Imprensa da Universidade, nº88.
  • CARNEIRO, Marinha do Nascimento Fernandes (2004), Ajudar a nascer: parteiras, saberes obstétricos e modelos de formação: séculos XV-XX, Porto, Universidade do Porto (Dissertação de Doutoramento), disponível em https://repositorio- aberto.up.pt/handle/10216/108390.
  • CASTRO, Zília Osório de; ESTEVES, João e MONTEIRO, Natividade (2011), Mulheres na 1ª República. Percursos, Conquistas e Derrotas, Lisboa, Edições Colibri.
  • CORDEIRO, Célia Carmen (2012), Ana de Castro Osório e a mulher republicana portuguesa : veículo de regeneração da nação e de preservação da identidade nacional, Lisboa, Fonte da Palavra.
  • COSTA, Susana Goulart (2007), “A Mulher na História: o género feminino entre os séculos XV-XIX”, in Violante. 450 Anos do Nascimento de D. Violante do Canto. Comunicações do Colóquio, Angra do Heroísmo, Edição da Presidência do Governo Regional dos Açores / Direcção Regional da Cultura, pp. 31-46.
  • COSTA, Susana Goulart (2008), “Mulheres açorianas no Século XVI: a mulher e o trabalho na História dos Açores”, in A Mulher e o Trabalho nos Açores e nas Comunidades / Women and Work in the Azores and the Immigrant Communities, Coord. Rosa Neves Simas, Ponta Delgada, EGA, Vol. V, pp. 1031-1041.
  • COUTO, Joana e RAPOSO, Vitória (2020), "Alice Moderno e Maria Evelina de Sousa: mulheres à frente do seu tempo", in Actas do 2º Colóquio “Saudade Perpétua”, Porto, CEPESE, pp. 237-277.
  • COVA, Anne (1999), “Escrever a História das Mulheres”, in Actas dos V Cursos Internacionais de Verão de Cascais (6 a 11 de Junho de 1998), Cascais, Câmara Municipal de Cascais, vol. 4, pp. 117-130.
  • COVA, Anne (2003), “L’Histoire des Femmes au Portugal: Le XX Siècle”, in Écrire l’Histoire des Femmes em Europe du Sud, dir. Gisela Bock e Anne Cova, Oeiras, Celta Editora, pp. 52-81.

D

  • DAVIS, Angela (1983), Women, Race and Class, Nova Iorque, Knopf Doubleday Publishing Group.
  • DELILLE, Maria Manuela Gouveia (1985), “Carolina Michaelis de Vasconcelos (1851- 1925) – Uma alemã, mulher e erudita em Portugal”, Separata de Biblos, vol. LXI, Coimbra.
  • DIAS, Fátima Sequeira (1995), Escritos sobre a História das Mulheres, Prefácio de Clara Pinto Correia, Ponta Delgada, Jornal de Cultura.
  • DIAS, Fátima Sequeira (2004), “Percursos de mulheres em espaço insular: da periferia de ontem à periferia de hoje”, in Saber Açores. Mulheres em Espaço Insular, Suplemento Atlântico de Artes e Letras, Ano V, nº 17, Julho, pp. 4-7.
  • DIAS, Fátima Sequeira (2012), “Vidas de distinção : Emília, Cecília, Jane, Esther e Mathilde Bensaúde: cinco micaelenses cosmopolitas”, in Apariencias Contrastadas, Universidad de León, Área de Publicaciones, pp. 175-195.
  • DIAS, José Henrique (2000), “Mulheres no Movimento Operário nos alvores da I República”, in Faces de Eva, n.º 3, pp. 61-79.
  • DUBY, Georges e PERROT, Michelle, Dir. (1993), História das Mulheres no Ocidente, Porto, Edições Afrontamento, 5 volumes.
  • DUBY, Georges e PERROT, Michelle, Dir. (1995), As Mulheres e a História, Lisboa, Publicações Dom Quixote.

E

  • ENES, Carlos (2011), A fotografia nos Açores: dos primórdios ao terceiro quartel do século XX, Ponta Delgada, Direção Regional da Cultura.
  • ESPÍRITO SANTO, Sílvia (2008), Cecília Supico Pinto. O rosto do Movimento Nacional Feminino, Lisboa, A Esfera dos Livros.
  • ESTÉS, Clarissa Pinkola (2016), Mulheres Que Correm Com os Lobos, Barcarena, Marcador Editora.
  • ESTEVES, João (1991), A Liga Republicana das Mulheres Portuguesas. Uma organização política e feminista (1909-1919), Lisboa, Comissão para a Igualdade e Direitos das Mulheres.
  • ESTEVES, João (1998), As Origens do Sufragismo em Portugal, Lisboa, Editorial Bizâncio.

F

  • FARGE, Arlette (1997), “De la différence dês sexes”, Dês Lieux pour L’Histoire, Paris, Seuil, La Librarie du XXe siècle, pp. 118-133.
  • FEDERICI, Silvia (2020), Calibã e a Bruxa, Lisboa, Orfeu Negro.
  • FERREIRA, Manuel Pedro (2007), Dez Compositores Portugueses, Lisboa, Dom Quixote.
  • FONSECA, Juliana Alexandra Guimarães (2013), As diferenças salariais por género no setor bancário português, Minho, Universidade do Minho (Dissertação de Mestrado) disponível em https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/28348/

    1/Juliana%20Alexandra%20 Guimar%C3%A3es%20Fonseca.pdf.

  • FRANCISCO, Maria do Rosário de Abreu Pereira Belo (2020), Enfermagem feminina em Portugal no contexto da Primeira Guerra Mundial: formação e prática assistencial, Lisboa, Universidade de Lisboa (Dissertação de Mestrado), disponível em https://repositorio.ul.pt/handle/10451/45374.
  • FRANZEN, Beatriz Vasconcelos (2004), “Mulheres açorianas na formação do Rio Grande do Sul”, Separata da Arquipélago-História, 2.ª Série, Universidade dos Açores, vol. 8, pp. 11-19.
  • FREEDMAN, Estelle (2003), No turning back: The History of feminism and the Future of Women, EUA, Ballantine Books.

G

  • GARRIDO, Georgina da Conceição Branco (2015), Dos Conventos ao economuseu. Patrício & Gouveia Ld.ª – Fábrica de Bordados, Lisboa, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia (Dissertação de Mestrado), disponível em https://recil.ensinolusofona.pt/handle/10437/6880.
  • GOMES, Joaquim Ferreira (1987), A Mulher na Universidade de Coimbra, Coimbra, Livraria Almedina.
  • GREGÓRIO, Rute Dias (2007), “Violante do Canto: vislumbres da mulher e do seu património”, in Violante. 450 Anos do Nascimento de D. Violante do Canto. Comunicações do Colóquio, Angra do Heroísmo, Edição da Presidência do Governo Regional dos Açores / Direcção Regional da Cultura, pp. 47-56.
  • GREGÓRIO, Rute Dias, Ed. (2015), Alice Moderno: intervenção e cidadania (1867- 1946), Catálogo de Exposição, Ponta Delgada, Secretaria Regional da Educação e Cultura.

H

  • HADJIAFXENDI, Kyriaki e ZAKERSKI, Patricia, Ed. (2010), ‘What is a Woman to Do?’ A Reader in Women, Work, and Art, 1830-1890, Oxford, Peter Lang.
  • HADJIAFXENDI, Kyriaki e ZAKERSKI, Patricia, Ed. (2016), Crafting the Woman Professional in the long Nineteenth Century. Artistry and Industry in Britain. Londres: Routledge.
  • HALLERSTEIN, Erna O. e outros (1981), Victorian Women. A documentary account of women’s lives in nineteenthcentury England, France and United States, Stanford, Stanford University Press.

J

  • JALLAND, Pat; HOOPER, John (1986), Women from Birth to Death. The female cycle in Britain, 1830-1914, Atlantic Higlands, Humanities Press International.

L

  • LALANDA, Maria Margarida (2008), “Vida religiosa e trabalho: freiras de clausura no século XVII nos Açores”, in A Mulher e o Trabalho nos Açores e nas Comunidades / Women and Work in the Azores and the Immigrant Communities, Coord. Rosa Neves Simas, Ponta Delgada, EGA, Vol. V, pp. 1053-1067.
  • LEAL, Joana d'Eça (2016), Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro, Lisboa, Imprensa Nacional Casa da Moeda.
  • LEANDRO, Sandra, Coord. (2020), Artistas Plásticas em Portugal, Lisboa, Manufactura.
  • LEVY, Henrique (2020), A SIBYLLA versos Philosophicos, Ponta Delgada, Letras Lavadas.
  • LIBERATO, Isabel (2002), Sexo, ciência, poder e exclusão social: A tolerância da prostituição em Portugal (1841 - 1926), Lisboa, Livros do Brasil.
  • LOPES, Maria Antónia (2016), Mães solteiras entre a repressão e os apoios do Estado: intimações, subsídios e abandonos no distrito de Coimbra, 1850-1890, disponível em http://hdl.handle.net/10316/31269.
  • LOPES, Maria do Céu Baptista (1996), A Mulher Açoriana. Religião, feminilidade e sociedade (1850-1900), Lisboa, FCSH da Universidade Nova de Lisboa (Dissertação de Mestrado).

M

  • MACHADO, Margarida Vaz do Rego (2019), " A literatura de viagens e os olhares femininos sobre os Açores Setecentistas e Oitocentistas" in Memória e identidade insular Religiosidade, Festividades e Turismo nos Arquipélagos da Madeira e Açores, Coord. Duarte Nuno Chaves, Ponta Delgada, CHAM e Santa Casa da Misericórdia das Velas, S. Jorge, pp.277-289. Disponível em https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/5135/1/Acores-Madeira_18-MMachado.pdf.
  • MARIANO, Fátima; PIRES, Ana Paula e VEIGA, Ivo, Coord. (2019), Mulheres e Eleições, Coimbra, Edições Almedina.
  • MATOS, Maria Izilda Santos de; MENEZES, Lená de Medeiros (2017), Gênero e imigração: Mulheres portuguesas em foco (Rio de Janeiro e São Paulo – XIX e XX), Brasil, eManuscrito.
  • MATOS, Maria Izilda Santos de (2018), Corpos e emoções: história, gênero e sensibilidades, Brasil, eManuscrito.
  • MEDEIROS, Isolina (2005), Revista Pedagógica (1906-1916). A modernidade do Pensamento Pedagógico em São Miguel nos Inícios do Século XX, Ponta Delgada, Universidade dos Açores (Dissertação de Mestrado).
  • MEDEIROS, Isolina (2018), O Ensino Primário nas Ilhas de S. Miguel e Terceira: Dos Ideais às Práticas Educativas nas primeiras décadas do século XX, Ponta Delgada, Universidade dos Açores (Dissertação de Doutoramento), disponível em https://repositorio.uac.pt/handle/10400.3/5013.
  • MELO, Helena Pereira de e PIMENTEL, Irene Flunser (2015), Mulheres Portuguesas, Lisboa, Clube do Autor.
  • MENEZES, Lená Medeiros de; MATOS, Maria Izilda Santos (2017), Gênero e Imigração: mulheres portuguesas em foco (Rio de Janeiro e São Paulo – XIX e XX), São Paulo, e-Manuscrito.
  • MIES, Maria e SHIVA, Vandana (1998), Ecofeminismo, Lisboa, Instituto Piaget.
  • MONIZ, Cristóvão (1895), A Cultura do Chá na Ilha de São Miguel, Lisboa, Administração do «Administração Agricola».
  • MORENO SECO, Mónica, Ed. (2020), Activistas, creadoras y transgresoras. Disidencias y representaciones, Madrid, Dykinson.
  • MOURA, Mário (2019), A História do Chá em São Miguel, Ribeira Grande, Câmara Municipal da Ribeira Grande.

N

  • NASH, Mary (2005), As Mulheres no Mundo, Vila Nova de Gaia, Editora Ausência.
  • NEVES, Cíntia Andreia da Cunha (2017), O papel do género na banca portuguesa, Coimbra, Instituto Politécnico de Coimbra (Dissertação de Mestrado), disponível em https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/21146/1/C%c3%adntia_Neves.pdf.

O

  • OLIVEIRA, Fernando Matos (2010), "A mulher no teatro da República" in Revisto Sinais de Cenas, nº14, Lisboa, pp.25-30, disponível em https://revistas.rcaap.pt/sdc/article/view/12769.

P

  • PAVÃO, Luís e outros (2016), “Tirée par..., a Rainha D. Amélia e a fotografia”, Lisboa, Documenta.
  • PAZ, Ana (2015), Ensino da Música em Portugal (1868 – 1930): uma história de pedagogia e do imaginário musical, Lisboa, Universidade de Lisboa (Dissertação de Doutoramento), disponível em https://repositorio.ul.pt/handle/10451/18383.
  • PENALVA, Elsa (2011), Mulheres em Macau: donas honradas, mulheres livres e escravas: séculos XVI e XVII, Lisboa, Centro de História de Além-Mar.
  • PFEIFFER, Ida (1855), A Lady’s Second Journey Round The World, Londres, Longman, Brown, Green and Longmans.
  • PINTASILGO, Maria de Lourdes (1981), Novos Feminismos: interrogação para os cristãos?, Lisboa, Morais.
  • PINTO, Teresa (2001), O Ensino Industrial Feminino oitocentista. A Escola Damião de Góis em Alenquer, Lisboa, Edições Colibri.
  • PITACAS, Irina Isabel Martins (2012), As mulheres e a música em Portugal na transição do século XIX-XX: o caso de Guilhermina Suggia, Lisboa, Instituto Universitário de Lisboa (Dissertação de Mestrado), disponível em https://www.iscte- iul.pt/tese/3054.
  • POMBO, Fátima (1993), Guilhermina Suggia, ou, o Violoncelo luxuriante, Porto, Fundação Engenheiro António de Almeida.
  • POMBO, Fátima (1996), Guilhermina Suggia: A Sonata de Sempre, Porto, Edições Afrontamento.
  • PRANCHERE, Nathalie Sage (2011), L’école des sages-femmes. Les enjeux sociaux de la formation obstétricale en France, 1786-1916, Paris, Universidade de Paris-Sorbonne.

R

  • RIBEIRO, Ana Alexandra Carvalho (2017), O retrato feminino na escultura portuguesa dos séculos XIX e XX. Um percurso escultórico, Lisboa, Universidade de Lisboa (Dissertação de Mestrado), disponível em https://repositorio.ul.pt/handle/10451/33653.
  • RODRIGUES, Henrique de Aguiar Oliveira (2010), Notas históricas: assistência e saúde pública, Ponta Delgada, Edição Autor.
  • ROSA, Padre Júlio da (1995), " O artesanato na Economia da ilha do Faial e Pico. Surto importante nos meados do século XIX e finais do século XX" in O Faial e a Periferia Açoriana nos Séculos XV a XIX, Horta, Núcleo Cultural da Horta, pp. 367-372.

S

  • SACRAMENTO, Leandro do (1879), Memória Económica sobre a preparação do chá, Ponta Delgada, Tipografia Popular.
  • SALDANHA, Sandra Costa (2006), “Nobre amadora, mulher escultora. A actividade artística da 3ª duquesa de Palmela”, in Revista Margens e Confluências, nº11-12, pp.99- 123, disponível em https://estudogeral.uc.pt/handle/10316/92338?locale=pt.
  • SAMARA, Maria Alice (2007), Operárias e Burguesas. As mulheres no tempo da República, Lisboa, A Esfera dos Livros.
  • SAMARA, Maria (2013), "Mulheres e Trabalho. Entre a construção de uma imagem da mulher e a realidade", in De pé sobre a terra. Estudos sobre a indústria, o trabalho e o movimento operário em Portugal, Lisboa, pp. 1095-1110.
  • SCHNURBEIN, Christiane (2003), As Fräuleins esquecidas: preceptoras alemãs nos Açores, Zusmarshausen, SKGVerlag.
  • SCHNURBEIN, Christiane (2003), As Fräuleins esquecidas: preceptoras alemãs nos Açores, Zusmarshausen, SKGVerlag.
  • SIMAS, Rosa, Coord. (2008), A Vez e a Voz da Mulher. Mulher e Trabalho nos Açores e nas Comunidades / Women and Work in the Azores and the Immigrant Communities, Ponta Delgada, EGA, Vol. V.
  • SIMAS, Rosa, Coord. (2014), A Vez e a Voz da Mulher. Relações e Migrações, Lisboa, Edições Colibri, vol. VI.
  • SILVA, Helena da (2017), "As enfermeiras de guerra da Cruzada das Mulheres Portuguesas (1916-1919) de 2017" in Revista CEPHIS, nº7, pp. 341-364, disponível https://novaresearch.unl.pt/en/publications/as-enfermeiras-de-guerra-da-cruzada-das- mulheres-portuguesas-1916
  • SILVA, Leonor Sampaio da (2016), “Rompendo silêncios: a presença das mulheres no campo da tradução”, in Manuel Sílvio Alves Conde; Margarida Vaz do Rego Machado, Susana Serpa Silva, Percursos da História. Estudos In Memoriam de Fátima Sequeira Dias, Ponta Delgada, Nova Gráfica, pp. 139-155.
  • SILVA, Maria Beatriz Nizza da e COVA, Anne. org. (1998), Estudos sobre as Mulheres, Lisboa, Universidade Aberta.
  • SILVA, Maria Regina Tavares da e VICENTE, Ana, Mulheres Portuguesas: vidas e obras celebradas, vidas e obras ignoradas, Lisboa: Comissão para a Igualdade e Direitos das Mulheres.
  • SILVA, Raquel Henriques da e LEANDRO, Sandra, Coord. (2013), Mulheres Pintoras em Portugal, Lisboa, Esfera do Caos.
  • SILVA, Raquel Henriques da e LEANDRO, Sandra, Coord. (2017), Mulheres Escultoras em Portugal, Lisboa, Caleidoscópio.
  • SILVA, Susana Serpa (2008), “Damas da Elite e Mulheres do Povo – A figura feminina na História dos Açores (Século XIX)”, in Violante. 450 Anos do Nascimento de D. Violante do Canto. Comunicações do Colóquio, Angra do Heroísmo, Edição da Presidência do Governo Regional dos Açores / Direcção Regional da Cultura, pp. 19- 30.
  • SILVA, Susana Serpa (2012), “A Mulher, a Criança e a Educação no pensamento republicano português”, in Açores: 100 Anos de República. Atas do Ciclo de Conferências, Edição da Presidência do Governo Regional dos Açores / Direção Regional da Cultura.
  • SILVA, Susana Serpa (2014), “As mulheres enquanto vítimas de violência. O caso de S. Miguel no século XIX”, in Rosa Maria Neves Simas, coord., A Vez e a Voz da Mulher. Relações e Migrações, Lisboa, Edições Colibri, pp. 231- 243.
  • SILVA, Susana Serpa (2016), “O olhar de viajantes estrangeiros sobre as mulheres açorianas (século XIX)”, in Manuel Sílvio Alves Conde; Margarida Vaz do Rego Machado, Susana Serpa Silva, Percursos da História. Estudos In Memoriam de Fátima Sequeira Dias, Ponta Delgada, Nova Gráfica, pp. 109- 138.
  • SILVA, Susana Serpa (1999), “Ponta Delgada Desconhecida: o submundo da prostituição”, in Colóquio Comemorativo dos 450 Anos de Ponta Delgada, Actas, Ponta Delgada, Universidade dos Açores/Câmara Municipal de Ponta Delgada, pp. 179-209.
  • SILVA, Susana Serpa (2012), Violência, desvio e exclusão social na sociedade micaelense oitocentista (1842 - 1910), Lisboa, CHAM, 2 vols.
  • SILVA, Susana Serpa (2020), “Women in the Azorean emigration in the 19th century. A gendered overview”, in Les Circulations européennes à l’âge dês empires coloniaux au XIXe siècle: une identité genrée?, “Enquêtes et Documents, 65”, CRHIA (Centre de Recherches en Histoire Internationale et Atlantique – Universités de Nantes et La Rochelle), Presses Universitaires de Rennes, pp. 65-82.
  • SMALL, Hugh (1999), Florence Nightingale, Avenging Angel, Londres, Palgrave Macmillan.
  • SMALL, Hugh (2017), A Brief History of Florence Nightingale: and Her Real Legacy, a Revolution in Public Health, EUA, Robinson.

T

  • TAVARES, Manuela (2000), Movimentos de Mulheres em Portugal, Lisboa, Livros Horizonte.
  • TRISTAN, Flora (1838), Pérégrinations d'une Paria, Paris, Arthus Bertrand, Libraire- Éditeur.

V

  • VAQUINHAS, Irene (2002), “Linhas de Investigação para a História das Mulheres nos séculos XIX e XX. Breve esboço”, in Revista da Faculdade de Letras. História, Porto, III Série, vol. III, pp. 201-221.
  • VAQUINHAS, Irene (2001), Mulheres de Montemor-o-Velho. Breve relance histórico, Edição da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho.
  • VAQUINHAS, Irene (2000), “Senhoras e Mulheres” na Sociedade Portuguesa do Século XIX, Lisboa, Edições Colibri.
  • VAQUINHAS, Irene (2021), Coquettes, Doutoras e Outras. História das mulheres em Portugal (Séculos XIX e XX), Lisboa, Edições Colibri.
  • VASCONCELOS, Ana Isabel (2017), Emília das Neves, Lisboa, Imprensa Nacional Casa da Moeda.
  • VASQUES, Eugénia (2001), Mulheres que Escreveram Teatro no Século XX em Portugal, Lisboa, Edições Colibri.
  • VICENTE, Ana (2001), As Mulheres Portuguesas Vistas por Viajantes Estrangeiros (Séculos XVIII, XIX e XX), Lisboa, Gótica.
  • VICENTE, Filipa Lowndes (2012), A arte sem história: mulheres e cultura artística (séculos XVI-XX), Brasil, Atena.
  • VIEGAS, Paula Cristina de Pinho Coelho Cintra (2018), Mulheres Fotógrafas em Portugal (1844-1918). Maria E. R. Campos – 1ª Photographa Portugueza, Lisboa, Universidade de Lisboa (Dissertação de Mestrado), disponível em https://repositorio.ul.pt/handle/10451/39555.
  • VILHENA, Maria da Conceição (1986), "Alice Moderno, uma conhecida desconhecida (no 40º aniversário da sua morte)", in Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, Secretaria Regional da Educação e Cultura, vol. XLIV, pp.237- 277.
  • VILHENA, Maria da Conceição (1987), Alice Moderno: a Mulher e a Obra, Angra do Heroísmo, Secretaria Regional da Educação e Cultura.
  • VILHENA, Maria da Conceição (1990), "Uma grande mulher de origem madeirense: Alice Moderno", in Revista Islenha, Funchal, Direção Regional da Cultura, nº7, pp. 15- 21.
  • VILHENA, Maria da Conceição (2001), Uma Mulher Pioneira: ideias, intervenção e acção de Alice Moderno, Lisboa, Edições Salamandra.
  • VILHENA, Maria da Conceição (2008), Joaquim de Araújo: diálogo epistolar com Alice Moderno: da literatura ao amor frustrado, Penafiel, Edições Cão Menor.

W

  • WOLLSTENCRAFT, Mary (2004), A Vindication of the Rights of Woman, Londres, Penguin Classics

Z

  • ZAKRESKI, Patricia (2006), Representing Female Artistic Labour, 1848-1890: Refining Work for the Middle-Class Woman, Aldershot, Ashgate.